© LL Contábil Ltda 2017 - Contato: Tel.: (35) 3431-3370
MROSC-Terceiro Setor Boletim Informativo Simples 2018             A Lei complementar 155, publicada em 27 de outubro de 2016, trouxe  inúmeras alterações ao Simples Nacional. Algumas, como o parcelamento valendo  desde 2016, algumas em 2017, como a possibilidade do investidor anjo.  A maior parte das alterações terá efeito somente em 2018, com grandes  mudanças e, talvez possa ser chamado de Novo Simples Nacional.  Teremos um novo teto de faturamento, ficando em R$ 4.800.000,00/ano,  embora na faixa de R$ 3.600.000,00 a R$ 4.800.000,00 o ISS e ICMS serão cobrados  à parte.  Para quem é MEI, o novo teto passa de R$ 60.000,00 para R$ 81.000,00.  As novas alíquotas não serão aplicadas diretamente sobre a receita bruta  mensal, mas terá um desconto fixo para cada faixa, tornando a tributação progressiva  em todas as faixas e teremos somente 06 faixas ao invés de 20, que é hoje. Esta  forma, inicialmente, poderá causar diminuição ou aumento do imposto a pagar,  dependendo do faturamento que a empresa estiver na faixa atual.  Teremos 5 anexos, Comércio (anexo I), Indústria (anexo II) e três para serviços  (anexo III, IV e V).  Várias atividades de serviço, preponderantemente de cunho intelectual,  poderão ser tributadas pelo anexo III, cria-se uma relação de folha x faturamento de  pagamento, sendo esta relação acima de 28%, será tributado neste anexo.  Está nesta  condição, atividades de arquitetura e urbanismo, medicina, odontologia, psicologia,  terapia ocupacional, acupuntura, podologia, fonoaudiologia, clínicas de nutrição,  entre outros. Algumas situações, como no caso de clinicas de fisioterapia, que hoje são  tributados pelo anexo III, passarão para a regra do fator folha x faturamento em 2018.  Se o fator for menor que 28%, a carga tributária subirá de forma assustadora, sendo  tributadas pelo novo anexo V.   Por outro lado, academias de condicionamento físico, que estão no anexo V  atual, poderão migrar para o novo anexo III, desde que a relação de folha x  faturamento seja maior que 28%.  Procure o seu contador e verifique o impacto que terá sobre a sua empresa.